Sustennutri

29 de Dec

O futuro da cadeia produtivo da carne bovina Brasileira - Uma visão para 2040

Adaptado por Zootecnista Henrique Costa Filho

Consultor Técnico Sustennutri

 

Em setembro/2020, o CiCarne publicou o relatório “O Futuro da Cadeia Produtiva da Carne Bovina Brasileira: uma visão para 2040” que visa subsidiar a definição de agendas estratégicas para formulação de políticas públicas e privadas, bem como a agenda programática de pesquisa com base nos resultados do monitoramento do ambiente externo, a partir de sinais e tendências que impactarão nesta cadeia produtiva.

Dentre vários tópicos que são de leitura importante, resumo a seguir o tópico com as 10 Megatendências em 2040:

  • 1. BIOLÓGICOS À FRENTE NO MANEJO DE BAIXOS RESÍDUOS

Produtos biológicos serão a base da sanidade bovina em 2040. Isso colaborará para uma maior aceitação dos produtos de origem animal pelos consumidores e menores riscos de embargos comerciais por questões sanitárias, sem contar a diminuição dos riscos de contaminação ambiental pelos fármacos tradicionais.

  • 2. BIOTECNOLOGIA TRANSFORMANDO A PECUÁRIA E A CARNE

Sanidade animal e o melhoramento genético serão fortemente impactados pela biotecnologia. Principais doenças e parasitos terão melhores soluções de manejo e controle. Ferramentas de melhoria genética e reprodutiva serão amplamente usadas, com destaque para a IATF, TE, FIV e edição gênica.

 

  • 3. MENOS PASTO, MAIS CARNE

Os avanços tecnológicos e a integração com lavoura e floresta irão mudar o patamar tecnológico da pecuária de corte. Isso irá eliminar diversos pecuaristas menos preparados do sistema produtivo. Teremos maior número de bovinos produzidos, integrados à diversidade produtiva e meio ambiente, com menor uso de terras para a atividade.

  • 4. LUCRO APENAS COM BEM-ESTAR ANIMAL

Produzir respeitando o bem-estar animal ao longo de toda cadeia será mandatório e nenhum elo poderá ficar de fora. Bem-estar animal, boas práticas produtivas e sustentabilidade serão temas chave para a aceitabilidade do mercado.

  • 5. PECUÁRIA CONSOLIDADA COM GRANDES PLAYERS

Exigências produtivas em termo de quantidade, qualidade do produto final e meios de produção provenientes de consumidores diversificados e exigentes refletem em maior necessidade de investimentos e controles, que limitará a atuação do pecuarista extrativista. Apenas se manterão na pecuária de corte os verdadeiros profissionais do setor.

  • 6. FRIGORÍFICO: MAIS NATURAL E COM MAIOR EXIGÊNCIA DE QUALIDADE

Para atender um consumidor que exigirá produtos mais naturais, haverá necessidade de aumento das exigências na aquisição da matéria prima proveniente dos pecuaristas mais avançados na qualidade da carne, manejos sustentáveis, adoção de produtos biológicos e rigoroso bem-estar animal em suas propriedades. Tendência forte do mercado externo também se refletirá no modo de consumo dos brasileiros.

  • 7. CARNE COM DENOMINAÇÃO DE ORIGEM

Fenômeno que já ocorre em produtos mais sofisticados chegará cada vez mais forte às carnes. Pecuaristas e frigoríficos irão trabalhar fortemente em termos de diferenciação de cortes e processos produtivos em busca de geração de valor.

 

  • 8. BRASIL, MEGA EXPORTADOR DE CARNE E DE GENÉTICA

Nos próximos vinte anos o Brasil irá ocupar espaço cada vez mais relevante no mercado de carne e genética bovina. O país se destacará na exportação de genética, de animais vivos para abate, de cortes de carne e de subprodutos, tanto para mercados emergentes como sofisticados. As exportações terão maior expressividade, mesmo em um cenário de crescimento do consumo interno.

  • 9. DIGITAL TRANSFORMANDO TODA A CADEIA PRODUTIVA

A relevância da qualidade e sustentabilidade crescerá via interação digital com o consumidor final. Nas propriedades, muita tecnologia embarcada eliminará os gargalos de produção. Nos frigoríficos, robôs mudarão a forma de processamento, impactando nos custos, na produtividade industrial e na qualidade do produto final.

  • 10. APAGÃO DE MÃO DE OBRA

84% da população brasileira já é urbana e se acentuará. A automação irá reduzir esse impacto e alterar o perfil de pessoas necessárias na atividade. Os avanços tecnológicos exigirão profissionais capacitados e raros na pecuária.

O futuro da cadeia produtivo da carne bovina Brasileira - Uma visão para 2040

Sustennutri

notícias relacionadas